Publicações

MAPA intercepta "Cavalo de Tróia"

21 de fevereiro de 2022

Ver ampliada

Figura 1. PRESENTE GREGO: O "Cavalo de Tróia" é um dos principais símbolos da famosa guerra de Tróia, usado como estratégia pelos gregos para derrotar os troianos.

Ver ampliada

Figura 2. Folhas de orquídea recebidas com sintomas de encharcamento: amostra original

Ver ampliada

Figura 3. Fatias de tubérculos de. batata com palitos de dente contendo a bactéria isolada das folhas de mudas de orquídea importada.

Ver ampliada

Figura 4. A bactéria macerou o tecido da fatia de tubérculo de batata confirmando ser pectolítica.

Ver ampliada

Figura 5. Folhas assintomáticas de orquídea foram inoculadas com a bactéria através de riscas e punções.

Ver ampliada

Figura 6. Áreas encharcadas ao redor dos pontos inoculados por punção em folha de orquídea.

Ver ampliada

Figura 7. Fragmento de folha de orquídea inoculada com água (controle) se sintomas.

Ver ampliada

Figura 8. Colônias da bactéria Dickeya fangzhongdai isoladas de mudas de orquídea importadas

Ver ampliada

Figura 9. O sequenciamento da região dnaX obtida por PCR com primers descritos por Slaviak et al. (2009), e análise filogenética, baseada no método Neighbor Joining (NJ) no programa MEGA X, indicou (24647) tratar-se de Dickeya fangzhongdai, Praga Quarentenária Ausente

Os Auditores Fiscais Federais Agropecuários (AFFAs) procuram o "Cavalo de Tróia" em cada material vegetal importado.
O "Cavalo de Tróia" é um dos principais símbolos da famosa guerra de Tróia, usado como estratégia pelos gregos para derrotar os troianos.
De acordo com a história, o Cavalo de Tróia era feito de madeira e totalmente oco. O guerreiro grego Odisseu teria tido a ideia de construir um gigantesco cavalo e presentear os troianos, como um gesto simbólico de rendição da guerra.
Os troianos aceitaram o “presente” e levaram o cavalo para o interior das muralhas de Tróia. Todos os soldados beberam e comemoraram a rendição do inimigo e, quando todos estavam dormindo, soldados gregos saíram de dentro do cavalo, abriram os portões e centenas de soldados gregos atacaram a cidade de Tróia, que foi totalmente destruída.
A partir desta história surgiu a expressão popular “presente grego”, quando alguém está se referindo a algo que ganhou, mas que não será útil ou trará problemas.
Em novembro de 2021 e janeiro de 2022, o Agronômica recebeu amostras de mudas de orquídeas de híbridos de Phalaenopsis importadas com sintomas de encharcamento. Colônias circulares, com bordas irregulares, branca-creme, não fluidas, levemente convexas, características de Dickeya sp., foram isoladas em meio de cultura B de King (Figura 8), maceraram rodelas de tubérculo de batata (Figuras 3 e 4) e induziram sintomas (encharcamento e maceração) em folhas de orquídea destacadas e inoculadas por punção, mantidas em câmara úmida à 28±2 °C por 48 h (Figuras 5 e 6). O sequenciamento da região dnaX obtida por PCR com primers descritos por Slawiak et al. (2009), e análise filogenética, baseada no método Neighbor Joining (NJ) no programa MEGA X, indicou tratar-se de Dickeya fangzhongdai (Figura 9), Praga Quarentenária Ausente (Dickeya sp.; MAPA, 2020). Dickeya fangzhongdai é uma espécie descrita em 2016 como agente causal do cancro da pereira na China (Tian et al., 2016). Recentemente (Tian et al., 2016; Oulghazi et al., 2019), D. fangzhongdai foi isolada e identificada como o agente causal da podridão mole em orquídea na Europa e no Canadá. Neste último caso, a origem das plantas de orquídea foi um produtor de Ontário, Canadá, que as propagou com mudas originalmente importadas da Holanda e Taiwan.
Quando a identidade da bactéria foi determinada, em janeiro, a Superintendência Federal do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) em São Paulo comunicou a empresa. O importador tinha duas opções: devolver as orquídeas ao fornecedor ou incinerá-las, seguindo as recomendações técnicas do MAPA. No dia 26 de janeiro, a equipe do Serviço de Inspeção e Sanidade Vegetal (SISV-SP) esteve no local para verificar as condições de armazenamento da carga e constatou que estava tudo correto. Com dificuldades para fazer a devolução, a empresa optou pela destruição (MAPA, 2022).

Da mesma forma que o "Cavalo de Tróia", pragas podem entrar no território nacional através de material vegetal importado, aparentemente belíssimo, mas que pode esconder inimigos com potencial de dizimar nichos da agricultura, com prejuízos incalculáveis. Os AFFAs vistoriam as cargas e desta vez, com o auxílio do Agronômica, o "Cavalo de Tróia" foi descoberto e incinerado, para o bem de todos.

O Nosso Negócio é Saúde de Plantas!

*******

Fontes:

  1. Alic, Š.; Pédron, J.; Dreo, T.; Van Gijsegem, F. 2019. Genomic characterisation of the new Dickeya fangzhongdai species regrouping plant pathogens and environmental isolates. BMC Genomics. 20:34 Disponível em: <http://dx.doi.org/10.1186/s12864-018-5332-3>. Acesso em: 21.fev.2022.
  2. Cardoza, Y. F. 2015. Espécies de Dickeya associadas à batata-consumo e semente. Tese de Doutorado. Disponível em: https://www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/210274/000998402.pdf?sequence=1. Acesso em: 21.fev.2022.
  3. MAPA. 2021. Tabela anexa à Instrução Normativa nº 39, de 1 de outubro de 2018  D.O.U nº 190, Seção 1, pág. 11-14, 2/10/2018. Disponível em: https://www.gov.br/agricultura/pt-br/assuntos/sanidade-animal-e-vegetal/sanidade-vegetal/analise-de-riscos-de-pragas-arquivos/PRAGASQUARENTENRIASAUSENTES_SITEMAPA_31.8.2020.pdf. Acesso em: 21.fev.2022.
  4. MAPA. 2022. MAPA impede a entrada de mais de 20 mil mudas de orquídeas com praga ausente no Brasil. Disponível em: https://www.gov.br/agricultura/pt-br/assuntos/noticias/mapa-impede-a-entrada-de-mais-de-20-mil-mudas-de-orquideas-com-praga-ausente-no-brasil. Acesso em: 21.fev.2022.
  5. Oulghazi, S.; Pédron, J.; Cigna, J.; Lau, Y. Y.; Moumni, M.; Van Gijsegem, F.; et al. 2019. Dickeya undicola sp. nov., a novel species for pectinolytic isolates from surface waters in Europe and Asia. Int. J. Syst. Evol. Microbiol. 69:2440–2444 Disponível em: <http://dx.doi.org/10.1099/ijsem.0.003497>. Acesso em: 21.fev.2022.
  6. Potrykus, A.; Sledz, W.; Golanowska, M.; Slawiak, M.; Binek, A.; Motyka, A.; Zoledowska, S.; Czajkowski, R.; Lojkowska, E.. Simultaneous detection of major blackleg and soft rot bacterial pathogens in potato by multiplex polymerase chain reaction. Ann Appl Biol. 2014 Nov; 165(3): 474–487. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4260167/.  Acesso em: 21.fev.2022.
  7. Slawiak M, Lojkowska E, van der Wolf JM. First report of bacterial soft rot on potato caused by Dickeya sp. (syn. Erwinia chrysanthemi) in Poland. Plant Pathology. 2009a;58:794.
  8. Slawiak M, van Beckhoven JRCM, Speksnijder AGCL, Czajkowski R, Grabe G, van der Wolf JM. Biochemical and genetical analysis reveal a new clade of biovar 3 Dickeya  spp. strains isolated from potato in Europe. European Journal of Plant Pathology, Dordrecht,  v.125, p.245-261, 2009b. 
  9. Tian, Y.; Zhao, Y.; Yuan, X.; Yi, J.; Fan, J.; Xu, Z.; et al. 2016. Dickeya fangzhongdai sp. nov., a plant-pathogenic bacterium isolated from pear trees (Pyrus pyrifolia). Int. J. Syst. Evol. Microbiol. 66:2831–2835 Disponível em: <http://dx.doi.org/10.1099/ijsem.0.001060>. Acesso em: 21.fev.2022.
  10. Van Gijsegem, F.; van der Wolf, J. M.; Toth, I. K. 2021. Plant Diseases Caused by Dickeya and Pectobacterium Species. Springer Nature. Disponível em: <https://play.google.com/store/books/details?id=0B8SEAAAQBAJ>. Acesso em: 21.fev.2022.

*******
How to cite: Cardoza, Y. F.; Martins, M. B.; Ortiz, P. C.; Alves, K. R.; Paim, L. E. S. 2022. MAPA intercepta "Cavalo de Troia". Agronômica Notícias. Disponível em: https://agronomicabr.com.br/detalhe.aspx?id=4806. Acesso em: 21.fev.2022.