Publicações

Por que o Agronômica não desacelerou durante a Pandemia?

13 de janeiro de 2022

A semente é a matéria-prima essencial para qualquer cultura, tanto de lavoura como de hortaliça, de forrageira ou de flores. E, por isso, se move constantemente ao redor do mundo. O comércio internacional de sementes aumentou 10 vezes nos últimos 15-20 anos. O Brasil é o terceiro maior mercado produtor de sementes do mundo, atrás de Estados Unidos e China (Kopp, C. M. 2021InvestopediaSanches et al., 2018). 

Não há país que consiga fornecer SEMPRE toda a semente necessária para os agricultores. Por isso, o comércio internancional de semenes é tão estratégico. Qualquer entrave operacional na exportação e importação pode representar um problema significativo na cadeia de abastecimento de sementes. Por outro lado, nenhum país deseja receber uma praga inexistente na sua agricultura (SEEDnews, 2021).

O Agronômica faz parte da operação. Ontem, por exemplo, recebemos 66 amostras de sementes de milho destinadas ao Paraguai. Entre as pragas de restrição, estão Pantoea ananatis (bactéria), Amaranthus palmeri e Eragrostis plana (plantas daninhas) e Aphelenchoides besseyi (nematoide). Estas análises dependem de infraestrutura, equipamentos e expertise, representada por profissionais altamente qualificados, para serem realizadas com rapidez, eficácia e não entravar o processo, status conquistado pelo Agronômica na sua trajetória de 15 anos (16 anos em maio p.v.).

Por que o Agronômica não desacelerou durante a Pandemia? Porque as pessoas não pararam de comer. Talvez até comeram mais! A comida depende de "SEMENTES"...