Selo de Qualidade de Mudas no Ano da Defesa Vegetal!

08/07/2019


Patrícia de Souza Teló, AFFA Helena, Dr. Rodrigo Nazareno, Dr. Leandro Barbieri, Dr. Ernesto Veigas e Amanda Rossi, MAPA, Brasília, DF, 05 jul 2019.


Moção: "Nós apoiamos o Ano Internacional da Saúde Vegetal!" International Congress of Plant Pathology (ICPP) 2018: Plant Health in A Global Economy, The Hynes Convention Center in Boston, Massachusetts, U.S.A., agosto 2018.




Uma tarde produtiva e de boa conversa regada a café mineiro.  Neste o5 de julho a Gerente Comercial e Financeira, Amanda Mattes Duarte Rossi, e a Diretora, Patrícia de Souza Teló, foram recebidas na Coordenação Geral de Laboratórios Agropecuários – CGAL do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento – MAPA, em Brasília/DF, para a apresentação do projeto piloto do Selo de Qualidade Fitossanitária, parceria que vem sendo desenvolvida desde 2018 com a colaboradora Eng. Agr. Dra. Camila Cristina Lage de Andrade, do Agronômica, com o Dr. Edson Bertolini, pesquisador e professor do Departamento de Fitossanidade da Faculdade de Agronomia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul -  UFRGS, e com os sócios fundadores Sr. Osmar Paulo Pereira da Rosa e o Sr. Eudes Romano Marchetti, da empresa Tecnoplanta Florestal, viveiro de mudas estabelecido no município de Barra do Ribeiro/RS, que conta com uma produção anual de aproximadamente 80 milhões de mudas de espécies nativas, ornamentais, eucalipto, oliveiras e nogueiras.
Estavam presentes nesta reunião: o Auditor Fiscal Federal Agropecuário, AFFA Rodrigo Barbosa Nazareno, Coordenador Geral da CGAL, o AFFA Ernesto do Nascimento Viegas, Coordenador da Área de Credenciamento e o AFFA Leandro Barbiere Coordenador da Área de Demandas.
Com o objetivo de garantir ao consumidor de mudas a ausência de pragas que possam comprometer seu investimento, os parceiros deste projeto, inovador para o Brasil, acreditam que um selo de qualidade também possa agregar valor a imagem de qualquer organização, por transmitir uma mensagem de que existe a possibilidade de um trabalho melhor qualificado neste seguimento.
A apresentação do projeto, para os fiscais da Coordenação, gerou uma discussão salutar com projeções futuras, destacando-se a possibilidade de se trabalhar de forma diferenciada os mecanismos de fiscalização em viveiros que adotarem programas como este, além da possibilidade de adoção de medidas diferenciadas de inspeção para processos de exportação de mudas.
A escolha de oliveiras foi alicerçada no potencial de expansão das áreas cultivadas com a cultura no país, em função das apropriadas condições edafo-climáticas das principais regiões produtoras do sul do Rio Grande do Sul e d o sul do Estado de Minas Gerais.  Além disto, o volume de azeitonas importadas (109 mil toneladas), bem como, o volume de azeite de oliva (74 mil toneladas) importados pelo Brasil, sinalizam uma evasão de divisas de 1,3 bilhões de reais. Dado que indica, portanto, que há muito para crescer, e que este crescimento deve ser focado e um sistema estratégico de proteção fitossanitária. 
De momento, firmou-se um compromisso de participação dos representantes da CGAL e do Departamento de Sanidade Vegetal – DSV (Organização Nacional de Proteção de Plantas – ONPF do Brasil) MAPA, no Workshop que será realizado em 2020, no viveiro da Tecnoplanta, onde o projeto piloto vem sendo desenvolvido. 
Neste evento, serão apresentados aos Auditores Fiscais Federais Agropecuários e aos demais envolvidos da cadeia produtiva os frutos deste trabalho: escopo de pragas analisadas, resultados da validação dos métodos de detecção, padrões de amostragem, além de uma cartilha com a descrição de boas práticas fitossanitária a serem seguidas para o uso do selo de qualidade fitossanitária.
Oportunamente, neste evento, será ressaltado que o lançamento deste selo foi idealizado como uma importante contribuição do Brasil para o ano de 2020, ano instituído pela Convenção Internacional de Plantas – CIPV, como o ano internacional da “Saúde de Plantas”. Propósito lançado na Convenção ICPP de 2018 – Plant Health in a Global Economy em Boston, na qual os diretores do Agronômica se fizeram presentes


Veja mais notícias