Sucesso da lavoura de soja e o teste de tetrazólio
14/01/2021

Ver ampliada

A) Face interna dos cotilédones de semente de soja com danos severos por percevejo e dano mecânico na radícula, semente viável à direita; B) Face externa dano mecânico latente na radícula e dano por umidade, semente sadia à direita; C) Face externa com dano por umidade.


Ver ampliada

Face interna dos cotilédones com danos severos por percevejo e dano mecânico na radícula, semente viável a direita.


Ver ampliada

Face externa de semente de soja com dano mecânico latente na radícula e dano por umidade e semente perfeita à direita.


Ver ampliada

Face externa de semente de soja com dano por umidade.



O agronegócio tem grande relevância na economia brasileira e mundial. Gera um impacto considerável no produto nacional bruto do Brasil. Portanto, é o principal impulsionador da economia nacional. Hoje em dia, de cada novo processo de plantio à colheita, é obrigatório e fundamental aplicar algum tipo de tecnologia para otimizar um determinado processo singular, ou mesmo toda a cadeia de cultivo, e, sem dúvidas, a semente responde muito sobre o sucesso da lavoura (Pereira et al., 2019).

Segundo previsão da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) de janeiro de 2021, a soja deve registrar recorde de produção neste ano-safra, com 133,7 milhões de toneladas da oleaginosa - 7,3% em relação a 2019/2020 (CONAB, 2021).

O que tem a ver o sucesso da lavoura de soja e o teste de tetrazólio?

Sementes de alta qualidade produzem plântulas fortes, vigorosas, bem desenvolvidas e que se estabelecem nas diferentes condições edafoclimáticas, com maior velocidade de emergência e de desenvolvimento das plantas, culminando no fechamento das entrelinhas rapidamente, o que resulta também no controle eficiente das ervas daninhas (França-Neto et al., 2010; França-Neto & Krzyzanowski, 2019).

O teste de tetrazólio consta no tingimento (vermelho carmim) dos tecidos do embrião da semente e dá uma estimativa rápida do potencial de germinação, estando indiretamente relacionado à atividade respiratória das células. Os tecidos em deterioração apresentam um vermelho intenso e tecidos mortos ficam com coloração branca leitosa. A análise por profissionais treinados permite estimar (%) a viabilidade e vigor de sementes de várias espécies (ICIA, 2021). 

As sementes de soja são pré-acondicionadas durante a noite por imersão em água ou em uma toalha úmida de germinação; 100 sementes são colocadas em um pequeno recipiente e embebidas na solução do corante e então cada recipiente é colocado em um germinador a 35 ºC para o período de coloração apropriado. As sementes devem ser avaliadas uma a uma, seccionando-as longitudinalmente através do centro do eixo embrionário com o auxílio de uma lâmina de barbear  (França-Neto et al., 1988; ICIA, 2021).

A correta interpretação dos resultados requer treinamento e conhecimento das estruturas da sementes e dos padrões de coloração dos tecidos pelo tetrazólio. 

O teste de tetrazólio avalia não apenas a viabilidade da semente, mas também identifica problemas associados a danos mecânicos, insetos, congelamento, calor, verificação do tegumento da semente, doenças, imaturidade e germinação.

O teste de germinação tem sido o método tradicionalmente empregado para avaliação da viabilidade das sementes. Todavia, em alguns casos, a obtenção dos resultados requer longos períodos, limitando a tomada de decisão durante o controle de qualidade das sementes (Costa & Santos, 2010).

Concluindo, o sucesso da lavoura de soja e o teste de tetrazólio estão relacionados, pois um depende e o outro estima a qualidade da semente. Portanto, o LAS do Agronômica oferece um serviço essencial para o sucesso da sua lavoura. O teste de tetrazólio (24-48 h) fornece uma estimativa da viabilidade da semente em um curto espaço de tempo (20/20 Seed Labs, 2017).

Entre em contato conosco pelo WhatsApp do nosso site.

Literatura consultada

20/20 Seed Labs. 2017. What is a Tetrazolium Chloride Test? 20/20 Seed Labs. Disponível em: https://2020seedlabs.ca/what-is-a-tetrazolium-chloride-test/. [Acesso em: 14.jan.2021].

CONAB. 2021. Conab - Safra Brasileira de Grãos. Portal CONAB - Companhia Nacional de Abastecimento. Disponível em: https://www.conab.gov.br/info-agro/safras/graos. [Acesso em: 14.jan.2021].

Costa, C. J. & Santos, C. P. dos. 2010. Teste de tetrazólio em sementes de leucena. Rev. Bras. Sementes. 32:66–72 Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0101-31222010000200008&script=sci_arttext. [Acesso em: 14.jan.2021].

França-Neto, J. de B. et al. Metodologia do teste de tetrazólio em semente de soja. Embrapa Soja-Documentos (INFOTECA-E), 1988.

França-Neto, J. de B. & Krzyzanowski, F. C. 2019. Tetrazolium: an important test for physiological seed quality evaluation. J. Seed Sci. 41:359–366 Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S2317-15372019000300359&script=sci_arttext. [Acesso em: 14.jan.2021].

França-Neto, J. de B.; Krzyzanowski, F. C. & Henning, A. A. 2010. A importancia do Uso de Semente de Soja de Alta Qualidade. Embrapa Soja-Fôlder/Folheto/Cartilha (INFOTECA-E). Disponível em: https://www.infoteca.cnptia.embrapa.br/bitstream/doc/661047/1/ID30537.pdf.

ICIA. 2021. Tetrazolium. Indiana Crop Improvement Association. Disponível em: https://www.indianacrop.org/Lab-Services/Seed-Quality-Purity-Testing/Tetrazolium. [Acesso em: 14.jan.2021].

Pereira, D. F.; Bugatti, P. H.; Lopes, F. M.; Souza, A. L. S. M. & Saito, P. T. M. 2019. Contributing to agriculture by using soybean seed data from the tetrazolium test. Data Brief. 23:103652 Disponível em: http://dx.doi.org/10.1016/j.dib.2018.12.090.

*******

How to cite: Siega, T. C. Sucesso da lavoura de soja e o teste de tetrazólio. Agriporticus. Disponível em: http://www.agronomicabr.com.br/agriporticus/detalhe.aspx?id=941. Acesso em: 14 jan.2021 (Atualize a data de acesso.)

Nova busca

Sobreo projeto

O AgriPorticus é uma iniciativa do Agronômica visando compartilhar os registros de ocorrências de pragas e doenças, disponibilizando imagens que auxiliem o seu reconhecimento por extensionistas e agricultores no campo.
Visite o site para maiores informações: www.agronomicabr.com.br