Tilletia barclayana em sementes de arroz importadas dos EUA
12/06/2018

Ver ampliada

Sementes de arroz (Oryza sativa) importadas dos EUA (Protocolo 115589, amostra 11217).


Ver ampliada

Teliósporos de Tilletia barclayana (estruturas escuras), praga não regulamentada, agente causal da cárie-do-arroz (em inglês: black smut of rice) na superfície de semente de arroz (Oryza sativa) importada dos EUA (Protocolo 115589, amostra 11217).


Ver ampliada

Teliósporos de Tilletia barclayana, praga não regulamentada, agente causal da cárie-do-arroz (em inglês: black smut of rice) em sementes de arroz (Oryza sativa) importadas dos EUA (Protocolo 115589, amostra 11217).


Ver ampliada

Teliósporos de Tilletia barclayana, praga não regulamentada, agente causal da cárie-do-arroz (em inglês: black smut of rice) em sementes de arroz (Oryza sativa) importadas dos EUA (Protocolo 115589, amostra 11217).


Ver ampliada

Teliósporos de Tilletia barclayana, praga não regulamentada, agente causal da cárie-do-arroz (em inglês: black smut of rice) em sementes de arroz (Oryza sativa) importadas dos EUA (Protocolo 115589, amostra 11217).


Ver ampliada

Teliósporo de Tilletia barclayana, praga não regulamentada, agente causal da cárie-do-arroz (em inglês: black smut of rice) em sementes de arroz (Oryza sativa) importadas dos EUA (Protocolo 115589, amostra 11217).


Ver ampliada

As pragas de restrição para a importação de sementes de arroz dos EUA encontram-se na Instrução Normativa no. 16, de 26 de agosto de 2015, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.


Ver ampliada

As pragas de restrição para a importação de sementes de arroz dos EUA encontram-se na Instrução Normativa no. 16, de 26 de agosto de 2015, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.


Ver ampliada

As pragas de restrição para a importação de sementes de arroz dos EUA encontram-se na Instrução Normativa no. 16, de 26 de agosto de 2015, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.



Tilletia barclayana, praga não regulamentada, agente causal da cárie-do-arroz (em inglês: black smut of rice) em sementes de arroz (Oryza sativa) importadas dos EUA (Protocolo 115589, amostra 11217).

Teliósporos unicelulares e binucleados, de formato arredondado e com 18-23 µm de diâmetro, parede celular é compacta, lisa ou ornamentada, sendo que algumas vezes apresenta um apêndice curto hialino recoberto por espículos. Os basidiósporos são unicelulares, uninucleados e de forma oval, geralmente sem ornamentações.

A cárie-do-arroz geralmente não é problema, mas em algumas situações de infecções elevadas, pode causar prejuízos na produção de arroz.

Os sinais nas sementes são as estruturas escuras na superfície. Além disso, estas estruturas (teliosporos) podem ocupar internamente toda a semente. Os sintomas aparecem no campo no momento da maturação da cultura do arroz. As glumas infectadas tornam-se escuras e as pústulas negras passam através delas. Em uma infecção grave, um estrutura semelhante a um bico ou esporão é produzido pelas glumas rompidas. O endosperma é substituído por uma massa negra e fuliginosa de esporos. Uma característica frequente é a retorcimento e erupção do endosperma não afetado, devido ao fato de que o grão inteiro às vezes não é substituído por esporos.

As pragas de restrição para a importação de sementes de arroz dos EUA encontram-se na Instrução Normativa no. 16, de 26 de agosto de 2015, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

Referência: Mathre, D. E. 2000. Bunts and Smuts Revisited: Has the Air Been Cleared? Plant Health Progress--Plant Health Reviews. Disponível em: https://www.apsnet.org/edcenter/intropp/lessons/fungi/Basidiomycetes/Documents/PHP2000_0622_02mathre.pdf. Acesso em: 12 jun.2018.

How to cite: Mello, R. M. O.; Duarte, V. Tilletia barclayana em sementes de arroz importadas dos EUA. Agriporticus. Disponível em: http://agronomicabr.com.br/Agriporticus/detalhe.aspx?id=742. Acesso em: 12 jun.2018. (Atualize a data de acesso)

Nova busca

Sobreo projeto

O AgriPorticus é um projeto do Agronômica, laboratório de diagnóstico fitossanitário, de iniciativa privada, credenciado pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.
Visite o site para maiores informações: www.agronomicabr.com.br