Indigoidina, pigmento associado a Dickeya spp.
28/07/2021

Ver ampliada

Figura 1. Colônias de Dickeya dadantii , associadas a cancro em ameixeira (Prunus domestica), mostrando uma cor azul acastanhada, escurecendo o meio de cultura (meio B de King), devido à produção de indigoidina (pigmento azul). 


Ver ampliada

Figura 2. Colônias de Dickeya dadantii , associadas a cancro em ameixeira (Prunus domestica), mostrando uma cor azul acastanhada, escurecendo o meio de cultura (meio B de King), devido à produção de indigoidina (pigmento azul). 


Ver ampliada

Figura 3. Colônias de Dickeya dadantii , associadas a cancro em ameixeira (Prunus domestica), mostrando uma cor azul acastanhada, escurecendo o meio de cultura (meio B de King), devido à produção de indigoidina (pigmento azul). 



Colônias de Dickeya dadantii, associadas a morte de plantas* de ameixeira (Prunus domestica), variedade Fortune sob porta enxerto A9, em Campestre da Serra, mostrando uma cor azul acastanhada, escurecendo o meio de cultura (meio B de King), devido à produção de indigoidina (pigmento azul). A produção deste composto é variável e depende de vários fatores, pelo que não pode ser usado como uma característica confiável para distinguir as bactérias deste gênero. Porém, quando observado, fortalece a identificação.

Nas espécies de Dickeya, a produção de pectato-liases, principal determinante da virulência, é modulada por uma complexa rede envolvendo várias proteínas regulatórias. Um desses reguladores, o PecS, também controla a síntese de um pigmento azul identificado como indigoidina (Reverchon et al., 2002).

A análise de sequência desta região de DNA revelou três quadros de leitura aberta, indA, indB e indC, envolvidos na biossíntese de indigoidina. Nenhuma função específica pode ser atribuída ao IndA. Em contraste, IndB exibe similaridade com várias fosfatases envolvidas na síntese de antibióticos e IndC revela homologia significativa com muitas sintetases de peptídeo não ribossômico (NRPS). O produto IndC contém um domínio de adenilação que mostra a sequência de assinatura DAWCFGLI para o reconhecimento da glutamina e um domínio de oxidação semelhante ao encontrado em vários NRPS formadores de tiazol. Esses dados sugerem que a glutamina é o precursor da indigoidina (Reverchon et al., 2002).

A ligação regulatória, via pecS, entre a produção de indigoidina e fator de virulência nos levou a explorar um papel potencial da indigoidina na patogenicidade de E. chrysanthemi (=Dickeya). Além disso, a produção de indigoidina conferiu um aumento da resistência ao estresse oxidativo, indicando que a indigoidina pode proteger a bactéria contra as espécies reativas de oxigênio geradas durante a resposta de defesa da planta (Reverchon et al., 2002).

Um meio foi desenvolvido para o isolamento e diferenciação de Dickeya spp. de outras Erwinia spp. com base na produção de indigoidina pigmentada de azul. O meio, denominado NGM, consiste em ágar nutriente suplementado com 1% de glicerol, que induz a produção de pigmento, e 2 mM de MnCl2 * 4H2O, que aumenta ainda mais o desenvolvimento da cor (Lee & Yu, 2006).

----------------

*Amarelecimento e queda de folhas; ao descascar os ramos, há exsudação de uma substância pegajosa avermelhada. Plantas com 2,5 m de altura, mudas plantadas em 2019. 

Referências

Kuhn, R.; Bauer, H. & Knackmuss, H. J. 1965. Structure and synthesis of the bacterial dye indigoidin. Chem. Ber. 98:2139–2153 Disponível em: https://onlinelibrary.wiley.com/doi/10.1002/cber.19650980714.

Lee, Y.-A. & Yu, C.-P. 2006. A differential medium for the isolation and rapid identification of a plant soft rot pathogen, Erwinia chrysanthemi. J. Microbiol. Methods. 64:200–206 Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/7815291_A_differential_medium_for_the_isolation_and_rapid_identification_of_a_plant_soft_rot_pathogen_Erwinia_chrysanthemi. Acesso em: 28.Jul.2021.

Lee, Y.-A.; Chao, C.-S. & Jung, C.-H. 2013. Combination of a simple differential medium and toxA-specific PCR for isolation and identification of phytopathogenic Burkholderia gladioli. Eur. J. Plant Pathol. 136:523–533 Disponível em: https://doi.org/10.1007/s10658-013-0184-9.

Reverchon, S.; Rouanet, C.; Expert, D. & Nasser, W. 2002. Characterization of indigoidine biosynthetic genes in Erwinia chrysanthemi and role of this blue pigment in pathogenicity. J. Bacteriol. 184 Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/11790734/. Acesso em: 28.Jul.2021.

Starr, M. P.; Cosens, G. & Knackmuss, H. J. 1966. Formation of the blue pigment indigoidine by phytopathogenic erwinia. Appl. Microbiol. 14:870–872 Disponível em: http://dx.doi.org/10.1128/am.14.6.870-872.1966.

*******

How to cite: Cardoza, Y. F.; Ortiz, P. C.; Alves, K. R.; Martins, M. B. Indigoidina, pigmento associado a Dickeya spp. Agriporticus. Disponível em: http://www.agronomicabr.com.br/agriporticus/detalhe.aspx?id=2000. Acesso em: 28.julho.2021 (Atualize a data de acesso.)

Nova busca

Sobreo projeto

O AgriPorticus é uma iniciativa do Agronômica visando compartilhar os registros de ocorrências de pragas e doenças, disponibilizando imagens que auxiliem o seu reconhecimento por extensionistas e agricultores no campo.
Visite o site para maiores informações: www.agronomicabr.com.br