Phycomyces blakesleeanus, Montenegro, RS
24/07/2021

Ver ampliada

Figura 1. Phycomyces blakesleeanus (sem nome comum) em gramado, Montenegro, RS, julho 2021. Autor da foto: Leandro Zirbes


Ver ampliada

Figura 2. Phycomyces blakesleeanus (sem nome comum), caracterizado por tufos negros filamentosos, parecendo cabelo, em gramado, Montenegro, RS, julho 2021. Autor da foto: Leandro Zirbes


Ver ampliada

Figura 3. Phycomyces blakesleeanus (sem nome comum), caracterizado por tufo negro filamentoso, parecendo cabelo, em gramado, Montenegro, RS, julho 2021. Autor da foto: Leandro Zirbes


Ver ampliada

Figura 4. Phycomyces blakesleeanus (sem nome comum), caracterizado por tufos negros filamentosos, parecendo cabelo, em gramado, Montenegro, RS, julho 2021. Autor da foto: Leandro Zirbes



Phycomyces blakesleeanus (sem nome comum), encontrando em Montenegro, RS, julho de 2021 - apesar da determinação ser baseada apenas pelas imagens, a comparação com o encontrado na literatura dá um bom grau de consistência. Um denso aglomerado de hifas aéreas filimentares. Cada um desses filamentos forma um esporângio com esporos na ponta. Fungo filamentoso da Ordem Mucorales do filo Zygomycota ou subfilo Mucoromycotina. Os esporangióforos portadores de esporos de Phycomyces são muito sensíveis a diferentes sinais do ambiente, incluindo luz, gravidade, vento, produtos químicos e objetos adjacentes. Eles exibem crescimento fototrópico: a maioria das pesquisas de Phycomyces tem se concentrado na fotobiologia de esporangióforo, como fototropismo e fotomecismo ('resposta de crescimento de luz'). Mutantes metabólicos, de desenvolvimento e de fotorresposta foram isolados, alguns dos quais foram mapeados geneticamente. Pelo menos dez genes diferentes (chamados de madA a madJ) são necessários para o fototropismo. O gene madA codifica uma proteína "White Collar 1" relacionada à classe de fotorreceptores que está presente em outros fungos, enquanto o madB codifica uma proteína "White Collar 2"relacionada à proteína  que se liga fisicamente ao colar branco 1 para participar das respostas à luz (Konstantinou, 2015.).

Phycomyces também exibe uma resposta de rejeição, na qual o esporangióforo em crescimento evita objetos sólidos em seu caminho, curvando-se para longe deles sem tocá-los, e então continuando a crescer para cima novamente. Acredita-se que isso resulte de um "gás de evitação" não identificado, emitido pela zona de crescimento do esporangióforo. Este gás se concentraria no espaço aéreo entre os Phycomyces e o objeto. Essa concentração mais alta seria detectada ao lado da zona de crescimento do esporangióforo, que cresceria mais rápido, fazendo com que o esporangióforo se curvasse (Konstantinou, 2015.).

Geralmente este fungo se desenvolve junto às fezes de cachorro no gramado. Neste caso, o proprietário tem gato.

Referências

Corrochano, L. M. & Galland, P. 2019. Measurement of Phototropism of the Sporangiophore of Phycomyces blakesleeanus. Methods Mol. Biol. 1924:63–81 Disponível em: http://dx.doi.org/10.1007/978-1-4939-9015-3_7.

Grolig, F.; Eibel, P.; Schimek, C.; Schapat, T.; Dennison, D. S. & Galland, P. A. 2000. Interaction between Gravitropism and Phototropism in Sporangiophores of Phycomyces blakesleeanus. Plant Physiol. 123:765–776 Disponível em: https://academic.oup.com/plphys/article-abstract/123/2/765/6087611. Acesso em: 24.Jul.2021.

Konstantinou, G. 2015. Biodiversity of Cyprus by NGO Protection of the Natural Heritage and the Biodiversity of Cyprus. Disponível em: http://biodiversitycyprus.blogspot.com/2015/08/phycomyces-blakesleeanus-burgeff-1925.html. Acesso em: 24.Jul.2021.

Lalitha Sridhar, S.; Ortega, J. K. E. & Vernerey, F. J. 2018. A Statistical Model of Expansive Growth in Plant and Fungal Cells: The Case of Phycomyces. Biophys. J. 115:2428–2442 Disponível em: http://dx.doi.org/10.1016/j.bpj.2018.11.014.

Ortega, J. K. E. 2019. Dimensionless Numbers to Analyze Expansive Growth Processes. Plants. 8 Disponível em: http://dx.doi.org/10.3390/plants8010017.

Shakya, V. P. S. & Idnurm, A. 2017. The inhibition of mating in Phycomyces blakesleeanus by light is dependent on the MadA-MadB complex that acts in a sex-specific manner. Fungal Genet. Biol. 101:20–30 Disponível em: http://dx.doi.org/10.1016/j.fgb.2017.02.005.

Tagua, V. G.; Navarro, E.; Gutiérrez, G.; Garre, V. & Corrochano, L. M. 2020. Light regulates a Phycomyces blakesleeanus gene family similar to the carotenogenic repressor gene of Mucor circinelloides. Fungal Biol. 124:338–351 Disponível em: http://dx.doi.org/10.1016/j.funbio.2019.10.007.

Wikipedia. 2021. Phycomyces blakesleeanus. Wikipedia. Disponível em: https://en.wikipedia.org/wiki/Phycomyces_blakesleeanus. Acesso em: 24.Jul.2021.

Wolf, R. 2011. Phycomyces blakesleeanus. flickr. Disponível em: https://www.flickr.com/photos/rwolf/5400067316/. Acesso em: 24.Jul.2021.

*******

How to cite: Duarte, V. 2021. Phycomyces blakesleeanus, Montenegro, RS. Agriporticus. Disponível em: http://www.agronomicabr.com.br/agriporticus/detalhe.aspx?id=1998. Acesso em: 24.jul.2021 (Atualize a data de acesso.)


Nova busca

Sobreo projeto

O AgriPorticus é uma iniciativa do Agronômica visando compartilhar os registros de ocorrências de pragas e doenças, disponibilizando imagens que auxiliem o seu reconhecimento por extensionistas e agricultores no campo.
Visite o site para maiores informações: www.agronomicabr.com.br