Cochonilha-de-carapaça em folha de limão-cravo
01/11/2019

Ver ampliada

Figura 1 - Fêmea, com carapaça, de Lepidosaphes gloverii em folha de limão-cravo


Ver ampliada

Figura 2 - Aspecto geral de Lepidosaphes gloverii montada em lâmina


Ver ampliada

Figura 3 - Corpo e aparato bucal alongado de Lepidosaphes gloverii


Ver ampliada

Figura 4 - Detalhe da cabeça e tórax de Lepidosaphes gloverii


Ver ampliada

Figura 5 - Detalhe dos lobos do pigídio, setas e macrodutos do tipo two-barred



A cochonilha Lepidosaphes gloverii foi encontrada em folhas de limão-cravo (Citrus limonia Osbeck), Canela (29°21'32.8"S 50°48'28.4"W), RS, 25/10/2019. O Inseto pertencente à família Diaspididae e possui uma carapaça longa e de cor marrom escura, mede de 5 a 6 mm de comprimento (Figura 1).  A cochonilha se alimenta por meio da introdução de seu longo aparato bucal nos tecidos vasculares das plantas hospedeiras e assim se alimentam da seiva.  

Uma fêmea de L. gloverii pode depositar de 50 a 100 ovos em vida e as ninfas eclodem em até duas semanas. Os primeiros estágios imaturos são rastejadores e dispersam procurando novos lugares para se alimentar, já as fêmeas adultas são sésseis. O ciclo de vida varia conforme as condições climáticas e o hospedeiro, a espécie pode ter de 2 a 6 gerações ao ano (Eguagie, 1972), com ciclo de vida das fêmeas variando entre 70 a 90 dias (Gonzalez, 2005). 

Esta cochonilha de carapaça é uma espécie polífaga que ocorre em 27 famílias e 38 gêneros de plantas, os hospedeiros mais comuns são citros, goiabeira e videira. A espécie é encontrada em todos os continentes, com exceção da Antártida; no Brasil possui registro de ocorrência no Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro e São Paulo (Almeida, 2018; Kosztarab, 1963; Silva et al., 1968; Wolff & Corseuil 1994). 

Características morfológicas: 

Cochonilha de corpo alongado (Figura 2); macrodutos do tipo “two-barred”, comprimento de cada um raramente mais longo que três vezes  a sua largura (Figura 3); segundo lobos das fêmeas bilobulado (Figura 3); lobos medianos não zigóticos (Figura 4); presença de um par de setas entre lobos medianos; padrão de furos no dorso de tórax estendendo até a margem ventral, esclerotização no protórax e mesotórax (Figura 5).

Literatura Citada:

Almeida, Luís Fernando V., et al. "A survey of scale insects (Hemiptera: Coccoidea) in citrus orchards in São Paulo, Brazil." Florida Entomologist 101.3 (2018): 353-364.

Eguagie, W. E. "Observations on the biology of some armoured scale insects (Homoptera: Diaspididae) on Citrus in Ibadan, Nigeria." Bulletin of the Entomological Society of Nigeria 3.2 (1972): 99-107.

González, Caridad, et al. "Lepidosaphes gloverii (Hemiptera: Diaspididae), Estudios Biológicos y Ecológicos en Cítricos de Cuba." Revista de la Sociedad Entomológica Argentina 64.1-2 (2005): 26-28.

Kosztarab, Michael. The armored scale insects of Ohio (Homoptera: Coccoidea: Diaspididae). Diss. The Ohio State University, 1962.

Silva AGA, Gonçalves CR, Galvão DM, Gonçalves AJL, Gomes J, Silva M do N, de Simoni L. Quarto Catálogo dos Insetos que Vivem nas Plantas do Brasil seus Parasites e Predadores. Parte II - 1° Tomo. Ministério da Agriculture; Rio de Janeiro: 1968.

Wolff VRS, Corseuil E. Espécies de Diaspididae (Homoptera: Coccoidea) ocorrentes em plantas cítricas no Rio Grande do Sul, Brasil: II - Diaspidinae. Biociências. 1994;2:1125–148.

*******

How to cite: Ferreira, V. A. Cochonilha-de-carapaça em folha de limão-cravo. Agriporticus. Disponível em: <http://www.agronomicabr.com.br/agriporticus/detalhe.aspx?id=878>. Acesso em: 01 nov. 2019. (Atualize a data de acesso.)

Nova busca

Sobreo projeto

O AgriPorticus é um projeto do Agronômica, laboratório de diagnóstico fitossanitário, de iniciativa privada, credenciado pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.
Visite o site para maiores informações: www.agronomicabr.com.br