Tauroceras angulatum em Porto Alegre, RS
28/12/2018

Ver ampliada

Adulto macho de Tauroceras angulatum  (Perty, 1830) (Coleoptera: Tenebrionidae: Centronopini) encontrado em Teresópolis, Porto Alegre, RS, Brasil, 10 dez 2018. 


Ver ampliada

Detalhe dos olhos e antena de adulto macho de Tauroceras angulatum  (Perty, 1830) (Coleoptera: Tenebrionidae: Centronopini) encontrado em Teresópolis, Porto Alegre, RS, Brasil, 10 dez 2018. 


Ver ampliada

Detalhe dos chifres de macho de Tauroceras angulatum  (Perty, 1830) (Coleoptera: Tenebrionidae: Centronopini) encontrado em Teresópolis, Porto Alegre, RS, Brasil, 10 dez 2018. 


Ver ampliada

Detalhe do pronoto angulado de macho de Tauroceras angulatum (Perty, 1830) (Coleoptera: Tenebrionidae: Centronopini) encontrado em Teresópolis, Porto Alegre, RS, Brasil, 10 dez 2018. 


Ver ampliada

Vista frontal de macho de Tauroceras angulatum  (Perty, 1830) (Coleoptera: Tenebrionidae: Centronopini) encontrado em Teresópolis, Porto Alegre, RS, Brasil, 10 dez 2018. 


Ver ampliada

Macho de Tauroceras angulatum (Perty, 1830) (Coleoptera: Tenebrionidae: Centronopini) encontrado em Teresópolis, Porto Alegre, RS, Brasil, 10 dez 2018. 


Ver ampliada

Adulto de Tauroceras angulatum (Perty, 1830) (Coleoptera: Tenebrionidae: Centronopini), ca. 7 cm, encontrado em Teresópolis, Porto Alegre, RS, em 10 dez 2018. 



Adulto de Tauroceras angulatum (Perty, 1830) (Coleoptera: Tenebrionidae: Centronopini), ca. 7 cm, encontrado em Teresópolis, Porto Alegre, RS, em 10 dez 2018. A presença de chifres nos indivíduos machos torna esse besouro muito característico, em contraste com as fêmeas, que desarmadas, podem ser facilmente confundidas com espécies do gênero Nyctobates. Informações sobre a biologia desta espécie são raras na literatura. Segundo Ferrer (2005, p.273), estes Tenebrionidaes são provavelmente noturnos, devido ao tamanho de seus olhos e seu provável habitat natural fica nas florestas, vivendo basicamente sob troncos de madeira total ou parcialmente decompostas. O gênero é estritamente limitado à região Neotropical, sendo possível relacionar sua distribuição geográfica apenas com base nas informações presentes em acervos tombados, relacionados à Argentina, Brasil, Equador e Paraguai.

Referências:

Costa Lima, 1955. Insetos do Brasil - Tomo 09 - Coleópteros 3. Disponível em: <https://www.ebah.com.br/content/ABAAAfdLYAG/insetos-brasil-tomo09-coleopteros-3-costa-lima-1955?part=4>. Acesso em: 28 dez.2018.

Ferrer J, Soldati L, Delatour T (2005) Revision du genre Tauroceras Hope, 1840 (Coleoptera: Tenebrionidae: Centronopini). Annales Zoologici (Warszawa) 55: 271–293.

Tschinkel W R, Doyen J T 1980. Comparative anatomy of the defensive glands, ovipositors and female genital tubes of tenebrionid beetles (Coleoptera). Int. J. Insect Morphol. & Embryol. Vol. 9, pp. 321-368. Disponível em: <https://www.academia.edu/30164619/Comparative_anatomy_of_the_defensive_glands_ovipositors_and_female_genital_tubes_of_tenebrionid_beetles_Coleoptera_>. Acesso em: 28 dez.2018.

*******

How to cite: Guimarães, G. C.; Ferreira, V. A. Tauroceras angulatum em Porto Alegre, RS. Agriporticus. Disponível em: http://www.agronomicabr.com.br/agriporticus/detalhe.aspx?id=823. Acesso em: 28 dez.2018. (Atualize a data de acesso.)

Nova busca

Sobreo projeto

O AgriPorticus é um projeto do Agronômica, laboratório de diagnóstico fitossanitário, de iniciativa privada, credenciado pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.
Visite o site para maiores informações: www.agronomicabr.com.br