Sitona obsoletus (Coleoptera: Curculionidae) em embalagem de madeira da Espanha
02/10/2018

Ver ampliada

Vista lateral de espécime de Sitona obsoletus (Gmelin, 1790) (Coleoptera: Curculionidae: Entiminae) interceptado em embalagens de madeira em navio vindo da Espanha.


Ver ampliada

Vista dorsal de espécime de Sitona obsoletus (Gmelin, 1790) (Coleoptera: Curculionidae: Entiminae) interceptado em embalagens de madeira em navio vindo da Espanha.


Ver ampliada

Padrão de escamas do pronoto e detalhe das coxas I de espécime de Sitona obsoletus (Gmelin, 1790) (Coleoptera: Curculionidae: Entiminae) interceptado em embalagens de madeira em navio vindo da Espanha.


Ver ampliada

Detalhe da antena, escapo, pedicelo, funi´culo e clava de espécime de Sitona obsoletus (Gmelin, 1790) (Coleoptera: Curculionidae: Entiminae) interceptado em embalagens de madeira em navio vindo da Espanha.


Ver ampliada

Detalhe do pronoto e cabeça de espécime de Sitona obsoletus (Gmelin, 1790) (Coleoptera: Curculionidae: Entiminae)  interceptado em embalagens de madeira em navio vindo da Espanha.


Ver ampliada

Detalhe da antena, escapo, pedicelo, funi´culo e clava de espécime de Sitona obsoletus (Gmelin, 1790) (Coleoptera: Curculionidae: Entiminae) interceptado em embalagens de madeira em navio vindo da Espanha.


Ver ampliada

Esternitos abdominais e pigídio de espécime de Sitona obsoletus (Gmelin, 1790) (Coleoptera: Curculionidae: Entiminae) interceptado em embalagens de madeira em navio vindo da Espanha.



A espécie Sitona obsoletus (Gmelin, 1790) (Coleoptera: Curculionidae: Entiminae) foi detectada dentro de embalagens de madeira em um navio vindo da Espanha; a carga e  matriz  não foram especificadas. O inseto pertence à subfamília Enthiminae, que compreendem gorgulhos de rostro pouco desenvolvido em relação aos demais representantes da família Curculionidae.  A espécie possui distribuição paleártica, portanto, não ocorre no Brasil.

Sitona obsoletus  alimenta-se de diversas espécies de plantas, mas aparenta ter preferência por plantas do gênero Trifolium (Gerard et al., 2005). As larvas alimentam-se externamente nos nódulos radiculares das plantas e os adultos são desfolhadores. É considerada praga em cultivos de leguminosas e pastagems, principalmente na Nova Zelândia, onde foi introduzida na década de 1990 (Eerens et al.,2005). O uso da vespa parasítica Microctonus aethiopoides como um controle biológico está em andamento em Southland, Nova Zelândia (Global Species, 2018).

Sinonímias (Global Species, 2018): Curculio subrufus Gmelin, 1790: 1807;  Curculio nigriclavis Marsham, 1802: 312; Sitona octopunctatus Germar, 1824: 416; Sitona longiclavis Stephens, 1831: 137; Sitona lepidus Gyllenhal, 1834: 104; Sitona longicollis Fåhraeus, 1840: 271; Sitona persulcatus Desbrochers des Loges, 1900: 6

Referências:

Gerard PJ, Crush JR, Hackell DL. Interaction between Sitona lepidus and red clover lines selected for formononetin content. Annals of Applied Biology. 2005 Oct; 147(2): 173-81.

Global Species. Sitona obsoletus. Disponível em: <https://www.globalspecies.org/ntaxa/1948780>. Acesso em: 03 out.2018.

Eerens H, Hardwick S, Gerard PJ, Willoughby BE.  Clover root weevil (Sitona lepidus) in New Zealand: the story so far. In proceedings of The Conference-New Zealand Grassland Association 2005 (Vol. 67, p. 19).

Muséum national d’Histoire naturelle. Sitona obsoletus obsoletus (Gmelin, 1790). National Inventory of Natural Heritage. Disponível em: <https://inpn.mnhn.fr/espece/cd_nom/795758?lg=en>. Acesso em: 03 out.2018.

PaDIL. Clover root weevil. Disponível em: <http://www.padil.gov.au/pests-and-diseases/pest/main/135880>. Acesso em: 03 out.2018. (Atualize a data de acesso.)

*******

How to cite: Ferreira, A. F. Sitona obsoletus (Coleoptera: Curculionidae) em embalagem de madeira da Espanha. Agriporticus. Disponível em: http://www.agronomicabr.com.br/agriporticus/detalhe.aspx?id=788. Acesso em: 03 out.2018.

Nova busca

Sobreo projeto

O AgriPorticus é um projeto do Agronômica, laboratório de diagnóstico fitossanitário, de iniciativa privada, credenciado pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.
Visite o site para maiores informações: www.agronomicabr.com.br